quarta-feira, 13 de maio de 2020

Vídeo mostra que Bolsonaro defendeu em reunião troca na Polícia Federal para evitar investigações contra familiares e aliados

Fonte - O GLOBO     12 de maio 2020

BRASÍLIA - No vídeo da reunião do conselho de ministros do último dia 22 de abril, exibido nesta terça-feira, o presidente Jair Bolsonaro defendeu trocas no comando da Polícia Federal do Rio para evitar que familiares e amigos seus fossem "prejudicados" por investigações em curso. 

Reunião realizada entre Bolsonaro e ministros dia 22 de abril
Foto: Marcos Correa / Divulgação

Segundo o relato de três fontes que assistiram ao vídeo, Bolsonaro disse que gostaria de substituir o superintendente da Polícia Federal do Rio de Janeiro e que demitiria até mesmo o então ministro da Justiça Sergio Moro caso não pudesse fazer isso. Ao deixar o cargo, Moro acusou o presidente de interferir politicamente na Polícia Federal. Em resposta, Bolsonaro afirmou na tarde de hoje que não disse as palavras "Polícia Federal", "superintendente" e "investigação" durante o encontro.

Segundo fontes que assistiram ao vídeo, Bolsonaro afirma durante a reunião que precisava "saber das coisas" que estavam ocorrendo na Polícia Federal do Rio e cita que investigações em andamento não poderiam "prejudicar a minha família" nem "meus amigos". Sob esses argumentos, o presidente afirma que trocaria o superintendente do Rio, o diretor-geral da PF ou até mesmo o ministro da Justiça, para garantir ter acesso a informações e que pessoas próximas não seriam prejudicadas.

O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Celso de Mello determinou que a perícia da PF transcreva integralmente as declarações do vídeo, para depois decidir sobre sua divulgação. 

Após a exibição do vídeo da reunião ministerial, a defesa do ex-ministro Sergio Moro declarou que o registro audiovisual "confirma integralmente as declarações" do ex-ministro e defendeu que o vídeo seja divulgado integralmente.


Nenhum comentário:

Postar um comentário